Untitled Document
SEXTA-FEIRA, 12 DE JULHO DE 2024
16 de OUTUBRO de 2023 | Fonte: Correio do Estado

Jovem que desapareceu em lagoa na Capital é a 5ª vítima por afogamento, nas últimas semanas em MS

O corpo da vítima foi localizado neste domingo (15), pelo Corpo de Bombeiros a sete metros de profundidade na lagoa que fica no bairro Nova Lima, em Campo Grande
O jovem teria consumido bebida alcoólica antes de entrar na água e desaparecer - Foto ilustrativa/CBMMS

Para amenizar os efeitos da onda de calor que afeta Mato Grosso do Sul, piscinas, balneários e lagos tem se tornado uma alternativa. No entanto, nas últimas semanas o Corpo de Bombeiros Militar registrou ao menos cinco vítimas fatais por afogamento, o que acende o alerta. 

 

Neste domingo (15), o jovem Odair Mota Dias de 23 anos, se afogou em uma lagoa, que fica nos fundos do antigo Frigorífico Matel, no Bairro Nova Lima, em Campo Grande. Testemunhas afirmaram que o rapaz estaria bebendo com amigos antes de entrar na água e desaparecer.

 

Após uma hora de busca, uma equipe de mergulhadores dos bombeiros localizou o corpo do jovem a 7 metros de profundidade e 15 metros da borda do lago. Os amigos e familiares ainda em choque, não quiseram comentar sobre a fatalidade.

 

Cabe destacar que conforme noticiado pelo Correio do Estado, ao menos cinco pessoas morreram vítimas de afogamento nas últimas semanas, no Estado. 

 

Apesar do desejo de se refrescar, o tenente-bombeiro do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, Waldevino Gomes Pinheiro, alerta que esses locais podem ser perigosos e exigem atenção redobrada para evitar acidentes e afogamentos. Além disso, a falta de habilidade na natação, de conhecimento do local e o uso de álcool são as principais causas desses acidentes fatais.

 

Prevenção

Os afogamentos são incidentes que fazem muitas vítimas, principalmente em períodos de altas temperaturas. Waldevino Gomes Pinheiro explica que, em caso de acidentes, é importante que a pessoa só tente ajudar caso esteja adequadamente habilitado para o auxílio.

 

“É importante ressaltar que, em caso de afogamento, o cidadão só tente salvar a vítima caso seja habilitado e esteja em boas condições físicas para a ação. Caso contrário, tente se aproximar da vítima e lance algum objeto que a ajude a flutuar, ser puxada para um local seguro e acione o guarda vidas ou o Corpo de Bombeiros Militar através do telefone de emergência 193”, alerta o tenente.

 

Confira algumas recomendações:

Ensine as crianças a nadar;

Mesmo com boias e materiais flutuantes, crianças devem ficar na água sempre sob a supervisão de adultos;

Não permita brincadeiras como corrida, saltos, e de empurrar perto de piscinas, rios ou lagos;

Não deixar brinquedos ou materiais dentro da piscina, pois atraem a atenção de crianças;

Não deixe baldes ou bacias com água ao alcance de crianças e sempre deixar a tampa da privada fechada;

Antes de entrar na água, não ingira bebida alcoólica e obedeça às sinalizações;

Nade longe de pedras e estacas.



Untitled Document
Últimas Notícias
Militares que atuaram no RS ajudam a combater os incêndios no Pantanal
Homem morre em capotamento pouco depois de trocar pneu de caminhonete
Após morte , Fiocruz alerta para meningite transmitida por caramujo
Untitled Document