Untitled Document
QUARTA-FEIRA, 11 DE DEZEMBRO DE 2019
02 de MAIO de 2019 | Fonte: Agência ALMS

Trabalhadores recebem homenagem na ALMS nesta quinta-feira

A comenda é destinada a agraciar personalidades que, em razão de sua atividade, se destacaram no contexto sócio-político-econômico, contribuindo de qualquer forma com a dignidade do trabalho.
Comenda do Mérito do Trabalho Ministro Wilson Fadul será entregue a homenageados por proposição do deputado Felipe Orro (Foto: Luciana Nassar/ ALMS)

A outorga da Comenda do Mérito do Trabalho Ministro Wilson Fadul marcará a comemoração do Dia do Trabalho na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALMS). A sessão solene será realizada nesta quinta-feira (02/04), a partir das 19h30, no Plenário Júlio Maia, por proposição do deputado Felipe Orro (PSDB), autor da Resolução 05/2011, que instituiu a honraria.

 

“Na época, julguei necessário e ainda tenho a mesma concepção de que é muito importante o reconhecimento do trabalhador pela Assembleia Legislativa. Estamos honrando cidadãos que fizeram suas vidas e a de outras pessoas em cima do trabalho duro e honesto. Homens e mulheres que se destacaram, exatamente, pelo mérito de seus esforços”, explicou o parlamentar.

 

A comenda é destinada a agraciar personalidades que, em razão de sua atividade, se destacaram no contexto sócio-político-econômico, contribuindo de qualquer forma com a dignidade do trabalho, conforme justificativa do projeto que deu origem à resolução. A honraria pode ser concedida à personalidade nacional ou estrangeira, trabalhador, profissional ou empreendedor.

 

Wilson Fadul – Segundo Orro, Wilson Fadul foi escolhido para dar nome à comenda por sua atuação política no Mato Grosso, antes da divisão do estado. “Homem honrado, leal a seus princípios, é uma biografia que justifica e dignifica a Comenda do Mérito do Trabalho”, ressaltou Felipe Orro na ocasião da criação da honraria.

 

Após se formar em Medicina, Fadul entrou para a Aeronáutica, tendo sido transferido como segundo-tenente para servir na Base Aérea de Campo Grande. Teve os direitos políticos cassados pela ditadura militar e passou a residir no Rio de Janeiro em 1964. Com a reabertura política, em 1979, ajudou Leonel Brizola a fundar o PDT e retornou a Mato Grosso do Sul, onde organizou o partido e foi o primeiro candidato a governador. Morreu aos 91 anos de idade no Rio de Janeiro.



Untitled Document
Últimas Notícias
CCJ confirma aprovação de projeto sobre prisão após 2ª instância
Governo adia mudanças no MEI para 2021
Avião desaparece no Chile com 38 pessoas
Untitled Document