Untitled Document
DOMINGO, 18 DE AGOSTO DE 2019
11 de JANEIRO de 2019 | Fonte: G1-MS

Produção de soja de MS deve cair 6,1%, estima Conab

Queda é motivada por veranicos e redução de investimentos em lavouras. A quantidade deve recuar das 9,600 milhões de toneladas da safra passada para 9,012 milhões de toneladas na atual.
Foto: Divulgação

Afetada por veranicos – períodos de estiagem que em alguns locais chegaram a 25 dias combinados com altas temperaturas, e pela redução de investimentos nas lavouras, a produção de soja de Mato Grosso do Sul no ciclo 2018/2019 deve cair 6,1% frente a da temporada passada. A quantidade deve recuar das 9,600 milhões de toneladas para 9,012 milhões de toneladas.

 

A projeção é do quarto levantamento de safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que foi divulgado na quinta-feira (10/01).

 

A Conab aponta que nesta safra ocorreu um aumento de 5,4% na área cultivada com a oleaginosa em Mato Grosso do sul, que passou dos 2,672 milhões de hectares para 2,816 milhões de hectares. Em contrapartida, deve ocorrer uma redução da produtividade de 10,9%, de 3.592 quilos por hectare – 59,8 sacas por hectare, para 3.200 quilos por hectare – 53,3 quilos por hectare.

 

A companhia credita essa redução expressiva na produtividade, que consequentemente vai impactar na produção a dois fatores. O primeiro a redução dos investimentos de alguns produtores nas lavouras, em razão da alta dos preços dos insumos que ocorreu com o aumento do dólar no ano passado. A segunda ao reflexo dos efeitos climáticos – veranicos, registrados entre o fim de novembro e dezembro nas regiões central e sul do estado.

 

Nestas regiões, algumas lavouras chegaram a ficar 25 dias sem chuvas, o que junto com elevadas temperaturas, acima dos 35ºC, provocou o aumento da evapotranspiração das plantas, justamente em um período em que elas estavam nas fases de floração e enchimento de grãos.

 

“Houve a antecipação da maturação das lavouras mais velhas que foram semeadas em setembro e início de outubro, prejudicando também a floração e enchimento de grãos das demais lavouras. A definição geral das perdas só será possível após a normalização do clima, pois está ocorrendo muita variabilidade com municípios que apresentaram de 12 a 25 sem chuvas”, apontaram os técnicos da Conab no levantamento.

 

Ao fazer uma avaliação geral da situação das lavouras de soja do estado, a companhia aponta que 35% estão boas, 55% seguem em situação regular e 10% tem uma evolução ruim.



Untitled Document
Últimas Notícias
MS apresenta, em julho, melhor resultado na abertura de empresas desde 2013
Praça Sakae Kamitani será inaugurada sábado, dia 17 de agosto
Naviraí registra segunda morte por Influenza A em 2019
Untitled Document